A importância do trade marketing para o sucesso do negócio

Melhorar o posicionamento de marca nos canais de venda não é uma missão tão simples. De fato, o diretor de vendas precisa criar estratégias eficazes e que não impactem negativamente nos custos da empresa.

Um planejamento de trade marketing quando bem executado pode favorecer o desenvolvimento do negócio, criar um bom relacionamento entre os parceiros e fortalecer a marca aos olhos do consumidor. Exatamente por isso, neste artigo mostrarei o que você precisa fazer para se organizar e desenvolver um planejamento de trade marketing para a sua empresa.

Antes de mais nada, é preciso ressaltar que a área de trade marketing não atua sozinha — na verdade, trata-se de um meio que impulsiona o comércio de produtos via canal tradicional ou moderno do varejo.

Portanto, o trade marketing pode ser considerado como o início do caminho e, dessa forma, precisa ser muito bem planejado para ter sucesso na execução. Ou seja, esta área deve alinhar os objetivos da indústria (fornecedor) e do varejista (distribuidor) para que a operação siga da maneira mais lucrativa e vantajosa para as ambas as partes.

Quando bem utilizado como ferramenta de execução de processos de vendas, é capaz de gerir categorias de produtos, com o objetivo de fortalecer a relação comercial entre as empresas e aumentar as oportunidades. além disso, essa sinergia e comprometimento entre os parceiros reflete positivamente na cadeia final de consumidores, que acabam se sentindo mais próximos da marca e munidos de informações para facilitar a tomada de decisão. E o resultado de tudo isso é o alavancamento da geração de negócios. Ou seja, mais vendas para a empresa!

Viu como o trade marketing é importante para o sucesso do seu negócio?

O planejamento de trade marketing

Como vimos anteriormente, o trade marketing nada mais é do que a execução da tarefa em campo. Assim, o primeiro passo para um planejamento de trade marketing eficiente é mapear a operação e entender as próprias necessidades da empresa. Essas necessidades deverão ser traduzidas em ações a serem tomadas em relação ao posicionamento e à precificação dos produtos no campo.

O cadastro do planograma (registra o inventário e mapeia o giro) faz parte da execução no varejo. Em outras palavras, podemos dizer que o planograma é responsável por captar informações além de dar uma identidade à marca e expor os produtos na vitrine.

Ou seja, a empresa deve considerar o posicionamento atual e o pretendido ao gerir o seu planograma e o sortimento de produtos dispostos. Para que isso ocorra da melhor maneira é importante vincular as categorias de produtos, conhecer público alvo e melhor direcionar o preço aos clientes ideais.

Por fim, o planejamento de trade marketing precisa considerar o fator humano e as limitações de cada segmento. Além disso, o diretor de vendas não deve basear as ações simplesmente na intuição — já que isso pode resultar na perda de market share para concorrentes que utilizam metodologias científicas. Assim, é chegada a hora de abandonar os “achismos” e começar a usar a tecnologia para gerir categorias de produtos!

Um grande abraço,
William Garcia
Gerente de Negócios da MC1

Sem comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

teste